Patologias

Unha Encravada

O que é Unha Encravada ou Onicocriptose?

É o nome científico dado a um dos problemas mais comuns da Patologia Ungueal.

Consiste na penetração de uma espícula (pedaço de unha) na borda do dedo ou excessiva curvatura do mesmo. Observa-se neste tipo de patologia que a pele na borda da unha pode ficar avermelhada e inchada, causando muita dor. A inflamação, que é uma resposta do organismo a agressão recebida, pode ser seguida por uma contaminação, causada pela entrada de bactérias devido a ruptura na pele gerando a infecção.

Quando não tratada adequadamente pode evoluir para o que chamamos de "granuloma" que é conhecido como "carne esponjosa", podendo ocorrer pus e sangramentos. O incômodo pode ser tamanho que a pessoa pode não conseguir calçar sapatos, podendo até ficar temporariamente incapacitada para o trabalho.

É muito comum seu aparecimento no Halux ("Dedão")

Quais as causas da Unha Encravada?

calçados muito apertados, principalmente de bico fino;

meias grossas, costura saliente ou pequenas

Cortes de unha feitos de forma inadequada;

Tropeços ou quedas de objetos sobre as unhas;

Traumas únicos ou constantes, podem causar um desvio no crescimento;

Pessoas muito ativas, esportistas são particularmente propensas a sofrerem com unhas encravadas, pois elas se movimentam mais e transpiram mais, o que facilita o amolecimento e a quebra das unhas e o seu consequente encrave,

Excesso de peso;

Unhas muito espessas;

Como tratar a Unha Encravada?

O tratamento varia de acordo com o grau de comprometimento da unha encravada, sendo avaliado pelo Podólogo no exame clínico. Após o procedimento adotado, seguir as orientações fornecidas pelo Podólogo e se necessário comparecer novamente para reavaliação e troca de curativo.

O uso de órteses corretoras de unhas pode ser uma das soluções adequadas, pois suaviza a curvatura da unha impedindo que se encrave.

Os diabéticos devem ter um cuidado redobrado, pois uma glicemia alta dificulta a cicatrização, compromentendo o processo do tratamento.

A extração da unha não é recomendada, devendo ser realizada somente em último caso. A podologia, através de suas técnicas e tratamentos, consegue na maioria dos casos preservar a saúde e a integridade da unha, evitando o incomodo da extração.

Verruga Plantar

O que é Verruga Plantar ou “Olho de Peixe”?

Popularmente conhecida como "Olho de Peixe", as Verrugas Plantares são tumorações benignas causadas pelo vírus do papiloma humano HPV. Esse vírus ativa o crescimento anormal de células da epiderme que são lançadas para a superfície do corpo formando as verrugas. É importante que sejam tratadas, pois frequentemente provoca dores ou incômodo ao caminhar. Devido a sua natureza infecciosa, as lesões da pele podem permitir a disseminação para outras pessoas ou para outros locais do próprio corpo.

O aspecto, o tamanho e a forma dessas lesões estão diretamente ligados às variações dos diferentes sorotipos de HPV responsáveis pela infecção. Muitas vezes se confunde com calosidade, o que diferencia é a superfície irregular e os pontos escuros no seu interior, de onde surge o nome popular "Olho de Peixe".

Como se prevenir da Verruga Plantar?

O contágio pode ocorrer por autoinoculação, através de pequenos ferimentos nos pés, que servem de porta de entrada para o vírus em casos de contato direto com pessoas e objetos infectados, clubes, piscinas, praia, andar descalço em locais sem assepsia adequada, alicates de manicures e pedicures sem a devida esterilização e seu controle.

Para prevenir que ele se propague é importante não coçar, nem machucar o local, para que o vírus não penetre pelas escoriações que se formaram na pele.

Pacientes imunodeprimidos são os mais vulneráveis ao aparecimento de verrugas causadas pelo HPV.

Como tratar a Verruga Plantar?

O tratamento pode consistir em medicamentos específicos que promovem cauterização química, eletrocauterização, ou crioterapia que seria a destruição das lesões com nitrogênio líquido.

Quanto antes iniciar o tratamento melhor será o prognóstico. Embora longo, ele costuma apresentar ótimos resultados. Procure um Podólogo.

Calos e Calosidades

O que são Calos e Calosidades?

São áreas endurecidas da pele que se tornam grossas e rígidas como resposta orgânica a atritos e pressões, que podem acontecer devido ao uso de calçados inadequados, atividades profissionais ou desportivas que implicam na fricção e pressão constante em determinados pontos dos pés, além de má postura. O incômodo é constante e se apresenta como dor local e sensação de queimadura (ardência).

Qual a diferença entre Calos e Calosidades?

O que diferencia um Calo de uma Calosidade é o seu tamanho. Os calos são menores e menos extensos, ao contrário das calosidades que se apresentam sobre uma área maior dos pés.

Quais são os principais tipos de Calos?

Eles podem variar de acordo com a sua característica e localização. Temos os seguintes tipos de Calos:

Calo Interdigital: resultante de pontos de pressão entre os dedos

Calo Periungueal: localizado nas bordas entre a unha e o dedo

Calo Millet: localizado na região dos tendões

Calo Vascularizado: onde identifica-se a presença de pequenos vasos sanguíneos

Calo do Sesamóide: Surge na região plantar. É um dos calos mais dolorosos.

Além destes, também temos outros como: Calo Duro, Calo Miliar, Calo Subungueal, Calo Dorsal, etc..

Como tratar o Calo ou a Calosidade?

Uma avaliação pelo Podólogo é fundamental para o início do tratamento mais adequado para o tipo de Calo diagnosticado. Após o início do tratamento, utilizar palmilhas ou protetores, evitar o uso de calçados apertados e jamais utilizar produtos químicos, giletes e receitas caseiras para a sua remoção. Consulte um Podólogo e evite aborrecimentos.

Bicho do Pé

O que é Bicho do Pé?

É um inseto da família das pulgas, que se aloja na pele de homens e animais. Com o nome científico de Tunga Penetrans, este pequeno inseto, de aproximadamente 1mm, penetra na pele para poder se alimentar do sangue do hospedeiro e reproduzir. Comum aparecer entre os dedos, sob as unhas, sola do pé ou até mesmo em outras partes do corpo.

Quais os sintomas do Bicho do Pé?

As reações iniciais se apresentam com uma leve coceira local, que pode evoluir para úlceras dolorosas, que culminam com certa frequência, em infecções secundárias e inchaço local.

Tem uma aparência de pontinhos pretos sob a pele, circundado por uma pele mais clara que o seu tom de pele normal.

Como evitar o Bicho do Pé?

De um modo geral, a melhor forma é evitar andar descalço em ambientes desconhecidos como: terra, solo arenoso, terrenos baldios, gramados e até mesmo na rua. Mais comum aparecer no verão, pois o bicho encontra com mais facilidade ambientes quentes e úmidos para sua sobrevivência.

Como tratar o Bicho do Pé?

O Bicho do Pé pode ser retirado com o auxílio de uma agulha e pinça esterilizada, porém este procedimento deve ser feito por um profissional capacitado. Procure a avaliação de um Podólogo e evite maiores problemas.

Órtese para correção de unha

Qual é a função da Órtese para correção de unha?

A Órtese faz parte de um tratamento que tem como objetivo corrigir o arco da lâmina da unha, atuando como uma alavanca que força a lâmina no seu sentido contrário, corrigindo e minimizando sua curvatura. Deve ser feito desde a raiz, elevando as bordas de modo a evitar seu aprofundamento, o que traz como consequência o encrave da unha. Existem vários tipos de Órteses:

Fibra de Memória Molecular ou Clip System

Onicoórtese Metálica

Órtese e Prótese de Resina Acrílica

Onicoórtese Elástica

Essa técnica faz com que desapareçam as lesões incômodas e dolorosas através da modificação da curvatura das unhas e da diminuição da pressão da unha sobre a pele, garantindo saúde, beleza e conforto para os seus pés.

Quanto tempo pode durar o tratamento?

O tempo leva em torno de seis meses, podendo variar de acordo com o grau de comprometimento do paciente em seguir as orientações fornecidas durante todo o tratamento. O Podólogo acompanhará mensalmente o crescimento da unha para que possa ir corrigindo a Órtese. A estabilidade da lâmina ungueal (unha) vai depender da mudança de hábitos do paciente. A escolha por calçados mais confortáveis e o corte correto da unha em tratamento é um dos exemplos necessários de mudança de habito.

A aplicação da Órtese é indolor e pode trazer excelentes resultados.

Fissuras

O que são Fissuras?

As Fissuras ou Rachaduras se apresentam como fendas na pele, localizadas na sola dos pés e geralmente na região do calcanhar, tendo como origem a perda de elasticidade da pele oriunda de um baixo grau de hidratação da região afetada.

Algumas lesam a pele apenas superficialmente e outras podem atingir tecidos mais profundos, ocasionando inclusive sangramentos. Isso cocorre quando o tecido da pele está endurecido e que, através da movimentação, se abre resultando em dor, limitação e desconforto. Este tipo de patologia é uma porta de entrada para as infecções bacterianas, já que os pés estão sempre em contato com todo o meio ambiente.

Quais são as causas das Fissuras?

A desidratação da pele através da falta de transpiração dos pés (anidrose) bem como a presença de calosidades na região afetada (espessamento da pele) são as principais causas.

Os seguintes fatores também contribuem para o surgimento das Fissuras:

Diabetes

Obesidade

Doenças do coração

Andar descalço

Agressões Químicas e de solo

Pouca quantidade de água ingerida

Micoses

Uso de medicamentos

Hábitos alimentares

Defeitos Ortopédicos, forma de andar incorreta.

Uso de calçados inadequados

Psoríase

Problemas Hormonais e vasculares

Como tratar e também prevenir a Fissura?

A melhor prevenção se faz com visitas periódicas ao Podólogo para que ele possa avaliar e indicar o tratamento mais adequado a ser seguido. Dependendo do prognóstico, o profissional de Podologia poderá ainda encaminhar o paciente para outras áreas que se façam necessárias como Dermatologia, Endocrinologia ou Ortopedia.

De um modo geral o tratamento é realizado através de lixas especiais, aplicada de acordo com a avaliação do Podologo , hidratação específica e principalmente da mudança de alguns hábitos que podem também ocasionar as fissuras. Caso a Fissura seja decorrência de alguma doença, fazer o controle desta para que o resultado seja satisfatório.

Evite dores, incômodos e limitações desnecessárias. Procure nossa Clínica, marque uma avaliação gratuita e inicie seu tratamento.

Micoses

O que é uma Micose de unha?

São infecções causadas por fungos dermatófitos que prejudicam a saúde das unhas. Pode aparecer tanto nas unhas dos pés quanto nas unhas das mãos. Dependendo do tempo e do grau de comprometimento da unha, o tratamento poderá ser longo e com indicação de uso de medicamentos via oral ou tópico.

Como identificar uma Micose de unha?

A unha pode tornar-se mais espessa pela presença de uma massa fúngica em sua parte inferior, descolar do seu leito, mudar de coloração, apresentar pequenas fissuras, dilaceração, além da possibilidade de alteração em seu formato.

Os fungos, que são organismos microscópicos, não necessitam de luz para sobreviver e se desenvolvem em ambientes úmidos e quentes.

Como tratar e prevenir a Micose de unha?

A consulta de um Podólogo é primordial para que se possa detectar e iniciar o tratamento mais adequado o quanto antes, pois é no estágio inicial que os resultados aparecem com mais rapidez. O tratamento alia o uso de óleos que contém propriedades antifúngicas e antissépticas, retirada dos resíduos da unha contaminada pelos fungos, assepsia local, bem como o uso de medicamentos de administração oral indicados por um dermatologista.

Uma boa higiene é a melhor forma de prevenir a Micose de unha. Possíveis deficiências no sistema imunológico devem ser estudadas, pois são fatores contribuintes.

Evitar outros fatores como:

Uso de alicates de cutículas e tesouras não esterilizadas

Andar descalço em pisos úmidos ou públicos.

Uso de toalhas compartilhadas ou mal lavadas.

Utilizar sempre o mesmo calçado (deixa-los para arejar ao sol e/ou utilizar produto específico em seu interior para desinfetá-lo).

Uso de meias sintéticas.

Compartilhar meias e calçados.

Evitar a automedicação (geralmente não produz efeito e ainda pode piorar o quadro)

Deixar de secar corretamente os pés, principalmente entre os dedos.

Pé Diabético

O que é Diabetes e qual a função da insulina?

A Diabetes é uma doença do metabolismo, causada pela falta ou deficiencia na produção da insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas e que possui diversas funções como: reduzir o nível de glicose no sangue (síntese do glicogênio), promover a redução da degradação de proteína, promover a absorção de potássio sérico e aminoácidos circulantes pelas células, promover o relaxamento dos músculos das artérias, aumentando o fluxo sangüíneo, especialmente nas artérias da microcirculação onde a falta da insulina reduz o fluxo sangüíneo permitindo que estes músculos se contraiam, entre outras.

Os tipos mais frequentes de Diabetes são:

Diabetes tipo I: insulino dependentes (geralmente ocorre na infância ou adolescência).

Diabetes tipo II: deficiência parcial na produção de insulina ou ineficiência da mesma.

Diabetes Gestacional: deficiência em produzir insulina para a mãe e o bebê.

Quais os principais sintomas do Diabetes?

Os sintomas mais comuns são:

Urinar excessivamente

Visão embaçada

Infecções frequentes

Aumento de apetite

Sede excessiva

Perda de peso

Os sintomas se instalam mais rapidamente no Diabetes tipo I do que no tipo II. Quaisquer que sejam os sintomas, um médico deverá ser procurado rapidamente para a realização de exames, diagnóstico e acompanhamento.

O que é Pé Diabético?

Pé Diabético é o termo empregado para nomear as diversas alterações e complicações ocorridas, isoladamente ou em conjunto, nos pés e membros inferiores dos Diabéticos.

Pode se transformar numa complicação crônica do Diabetes Mellitus, caracterizando-se por infecção, ulceração ou destruição dos tecidos profundos.

A Neuropatia (danos aos nervos do corpo) e a insuficiência vascular tornam o paciente diabético susceptível à infecção.

As altas taxas de açúcar no sangue, aliadas a uma deficiente oxigenação dos tecidos, decorrentes da degradação da circulação sanguínea, afetam a capacidade do organismo de combater uma infecção e de cicatrizar um ferimento. Por essas razões um "Pé Diabético" deve ser motivo de preocupação, atenção e principalmente de prevenção.

Por apresentar alterações de sensibilidade devido a Neuropatia, o Diabético poderá ter dificuldade em identificar lesões nos pés. O diagnóstico tardio acarreta o agravamento do quadro, pois a lesão poderá se encontrar em estágio avançado e quase sempre acompanhado por uma infecção secundária, o que torna o tratamento extremamente difícil devido à insuficiência circulatória, comprometendo a cicatrização.

O Podólogo especialista, ao examinar os pés do portador de Diabetes, tem a capacidade de perceber e acompanhar as alterações que possam estar ocorrendo como, temperatura, cor de pele, unhas encravadas, bolhas e/ou calos causados por sapatos apertados, verrugas na planta do pé, fissuras, pequenos ferimentos associados a alteração das unhas ou por batidas, ulcerações, infecção por fungos, etc..

Qual é o tratamento indicado para um Pé Diabético?

A prevenção é sempre o melhor tratamento, pois ela pode reduzir a incidência de patologias que podem comprometer os pés do portador de Diabetes, seja ele criança, adolescente, adulto, ou idoso.

Se o portador de Diabetes tem uma doença controlada com um nível de glicemia adequado, os pés corresponderão positivamente a este controle. Um "Pé Diabético" poderá ter vários graus de comprometimento e depende diretamente do controle da doença na glicemia, na alimentação, na prática de exercícios e nas visitas periódicas ao médico.

A Podologia, trabalhando em conjunto com outras áreas da medicina, previne, acompanha e adéqua o melhor tratamento no que se refere à manutenção da saúde dos pés, trazendo informações, orientações e cuidados que devem ser aplicados em busca de uma melhor qualidade de vida. Os pés do Diabético necessitam deste acompanhamento para evitar complicações futuras, pois a identificação prematura do diagnóstico é fundamental para o sucesso do tratamento.

Visite o Podólogo regularmente e previna-se.

Pé Infantil

O que é Podologia Infantil?

É o ramo da podologia que tem como objetivo a investigação, prevenção, diagnóstico e tratamento das patologias e alterações que afetam os pés da criança que, por possuírem características particulares, diferem dos pés de um adulto, merecendo uma atenção específica. Isto se deve ao fato da criança estar em constante desenvolvimento ósseo e muscular, o que contribui para o desenvolvimento das alterações estruturais e funcionais dos pés, podendo ou não, estar associadas a dores em decorrência de possíveis patologias.

Quais são as particularidades encontradas no Pé Infantil?

O esqueleto dos pés de um bebê recém-nascido possui uma estrutura particular composta por ossos e cartilagens. Chamamos de ossificação o processo em que a cartilagem se solidifica em osso, contribuindo para a formação de estruturas mais complexas como os pés. Este processo acontece até os seis anos de idade, porém a estrutura dos pés como um todo atinge seu desenvolvendo final entre 14 e 20 anos de idade.

O pé do bebê é muito sensível e flexível, sendo que qualquer pressão anormal ou batida poderá causar machucados e deformidades, prejudicando seus primeiros passo na vida. Ao nascer, as deformidades encontradas nos pés estão relacionadas à posição intra-utrina forçada durante a gestação.

O estímulo motor se inicia por volta dos 10 meses de idade, onde a partir de então se prioriza o andar descalço para que a estrutura muscular fortaleça e as articulações, ligamentos e reflexos nervosos possam contribuir para o desenvolvimento do equilíbrio e da postura.

Por que devemos ficar atentos com os pés do bebê?

O choro frequente do bebê pode não estar associado somente à fome, cólica, ou dor de ouvido, mas sim a possíveis incômodos na região dos pés. Os principais cuidados relacionados com os pés do bebê são o corte correto das unhas, o tipo de calçado utilizado, meias adequadas e até o tipo de roupa escolhida para o bebê, evitando o uso macacão muito apertado na parte dos pés. Estes fatores, quando mal gerenciados, podem originar no surgimento de patologias como a unha encravada que, se não tratada, poderá evoluir para uma inflamação e consequentemente uma infecção. A forma de expressão do bebê a incômodos é através do choro, logo a saúde dos pés pode ser um dos fatores geradores.

Quais os problemas mais frequentes encontrados no Pé Infantil?

O fato do corpo estar em constante desenvolvimento propicia o surgimento de algumas alterações que são características da idade pediátrica como:

Lesões da pele e unhas

Verrugas Plantares

Alterações estruturais do pé (pé chato, pé plano)

Sobreposição dos dedos

Excesso de transpiração

Quedas frequentes em decorrência de uma deficiente posição dos joelhos em função do tipo de pisada.

Pé de atleta ou frieira (micose de pele)

Bolhas pelo uso de calçados inadequados

É preciso salientar que muitas destas alterações estão de acordo com a fase de crescimento em que a criança se encontra, não se apresentando como patologias, mas sim como algo passageiro que será ultrapassado sem sequelas à medida que se verifica a evolução corporal.

É bastante importante promover uma boa saúde dos pés desde cedo. Crianças com pés saudáveis terão menor risco de desenvolver problemas no futuro, não só nos membros inferiores, mas também nos restantes segmentos corporais.

O Profissional de Podologia, juntamente com especialistas de outras áreas da saúde, é o responsável por tratar das afecções que dizem respeito ao pé. Sejam elas patologias da pele, das unhas, dos desenvolvimentos estruturais, funcionais e morfológicos do pé.

As visitas ao Podólogo promovem o bem estar, o bom desenvolvimento da estrutura corporal e a saúde dos pés, além de propiciar condições para que a criança aproveite o ambiente social sem restrições funcionais.


Rua Bocaiuva, 2468 - Piso L4 - Beiramar Shopping

Centro médico - Florianópolis /SC